A evolução

Os anos foram passando, a alegria vivida, os espectáculos, as pessoas que conheci que de clientes rapidamente passaram a amigos, tudo isso compensava todas as dificuldades que iam surgindo.

A dada altura e inquieta como sou procurava sempre aperfeiçoar, melhorar e ver formas de proporcionar “a experiência egípcia completa” e foi assim que surgiram os jantares, os petiscos, a comida tradicional árabe que era para mim um desafio aterrador!

Começamos com alguns jantares com serviço de catering e contratação de fora mas como já faz parte da minha personalidade meter a mão na massa e ter o meu cunho em tudo, resolvi arriscar nas receitas mirabolantes do mundo árabe.

Não foi forçado, até porque sempre adorei cozinhar, mas inventar para os de casa não é a mesma coisa que seguir receitas árabes para pessoas que estariam a viver a experiência a primeira vez.

Com a vinda do meu sócio foi feito o teste de todas as novidades e foi fantasticamente aprovadas todas as especialidades. Com os anos e com várias pessoas a provar a nossa culinária pude ter a certeza que estava no caminho certo e que com dança, bebida e comida o pacote da “experiência” estava completo.

À medida que o tempo ia passando eu ia sempre procurando o que podia acrescentar. Tatuagens de henna que tanto me fazia lembrar a minha visita à aldeia nubia aquando a minha ida ao Egipto. E com as ideias a fervilhar quis trazer um pouco da minha ideia original antes de abrir o Khan el Khalili, então criei um espacinho na entrada com alguns produtos vindos do Egipto. Desde estatuetas, essências de perfume, bijuteria, candeeiros, tudo me fazia recordar a viagem que já parecia tão distante.

Sempre me dediquei de corpo e alma ao meu trabalho e daí nunca mais ter voltado ao país que tanto me fascinava! Mas as memórias, os cheiros, tudo estava presente neste meu pedacinho em 5 de Outubro.

Adicionar comentário